Saúde

Fisioterapia especializada em escolioses

Como obter o melhor resultado, com base na evidência científica

Artigo retirado do blog da fisioterapeuta Tânia Fernandes, formadora da Master para o curso de Avaliação e Intervenção em Escolioses.


O que é?


A escoliose é definida como uma deformidade tridimensional da coluna que é caracterizada pela inclinação lateral e rotação axial das vértebras, com angulações maiores que 10 graus (Ângulo de Cobb), e pela redução das curvaturas fisiológicas da coluna no plano sagital.


Escoliose Idiopática - O termo é aplicado a todos os pacientes nos quais não é possível encontrar uma doença específica que causa a deformidade. Ocorre em crianças aparentemente saudáveis e pode progredir por múltiplos factores durante qualquer período rápido de crescimento.

  • Infantil: Do nascimento até os 3 anos de idade;
  • Juvenil: Dos 3 aos 9 anos de idade;
  • Adolescente: Dos 10 aos 18 anos de idade;
  • Adulto: Após os 18 anos de idade.


Causas


As causas da escoliose idiopática são desconhecidas, no entanto, a literatura afirma ser uma patologia multifactorial:

- Factores genéticos;

- Anomalias coexistentes, como estruturas assimétricas do tronco encefálico, ou comprometimento sensorial e do equilíbrio;

- Interacções anómalas entre hormonas envolvidos no processo do crescimento (melatonina);

- Distúrbios da função plaquetária e do colagénio no sangue;

- Distúrbios biomecânicos da coluna como estímulos e sobrecargas assimétricas.


Progressão


A progressão da escoliose ocorre normalmente durante a fase de crescimento das crianças e adolescentes progredindo até atingirem a fase madura de crescimento.


O risco associado à progressão da curvatura é superior em crianças do género feminino, quando a curvatura surge antes da menarca (primeira menstruação).


Quanto mais tempo faltar para terminar o crescimento, maior é a probabilidade da escoliose progredir.


Diagnóstico


Nas idades mais jovens são os pais, professores ou o pediatra que dão o sinal de alerta de que algo se passa com a coluna. No entanto, o diagnóstico é confirmado pelo médico ortopedista após a realização de uma radiografia.


A detecção precoce da escoliose é muito importante para evitar a sua possível progressão e obter um melhor prognóstico. Existem diferentes sinais que podemos observar durante uma avaliação visual que indicam possíveis escolioses. Alguns desses sinais são a elevação de um ombro, desvio lateral do tronco, desnível da pélvis, assimetria das omoplatas e presença de “corcunda” torácica ou lombar.




Tratamentos


O tratamento da escoliose começa com a avaliação e o diagnóstico pelo médico Ortopedista. Se o grau de escoliose for:


10-20 graus: Escoliose leve


- Observação;

- Monitorização durante um período de tempo;

- Estudar necessidade de fisioterapia especializada.


20-45 graus: Escoliose moderada


- Muito importante a fisioterapia especializada (exercícios terapêuticos de correção postural para escoliose);

- Ponderar colete ortopédico, prescrito pelo médico ortopedista.


> 50 graus: Escoliose grave


- O tratamento pode ter que ser cirúrgico;

- Nos adultos: Fisioterapia especializada para melhoria da postura, alivio da dor e função respiratória.


Saiba mais aqui.

Ver Mais

Fonte:

SOSORT: Exercícios terapêuticos específicos para a escoliose

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Cursos Relacionados

Curso Avaliação e Intervenção em Escolioses

8 Mai - 9 Mai 2021 16h Vila Nova de Gaia

Curso Avaliação e Intervenção em Escolioses

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!