1ª Edição
Lisboa 8h Português

Fisioterapia na incontinência de esforço

23 Jun 2018

Fisioterapia na incontinência de esforço

Fisioterapia na incontinência de esforço

Exclusivo. C/ Aline Filipe - Fisioterapeuta especialista em pelviperineologia. Criadora do The Pelvic Tuner. Evidenced based. Cirurgias actuais vs implicações. Hipermobilidade uretal. Deficiência intrínseca esfincteria. Exercícios do pavimento pélvico

DESTINATÁRIOS

Fisioterapeutas

VAGAS

30 formandos

DATAS

23 Jun 2018

LIMITE DE INSCRIÇÃO

21 Mai 2018

HORÁRIOS

09h00-18h00

Sábado

LOCALIZAÇÃO

Hotel Holiday Inn Lisboa

Av. António José Almeida, 28-A

1000-044 Lisboa, Lisboa

COORDENADAS

Latitude: 38,738185

Longitude: -9,140716

FORMADOR

Portugal

Aline Filipe

Saúde da mulher e uroginecologia

Especialista em pelviperineologia e fundadora do “The Pelvic Tuner”

Aline Filipe - Master Science Lab
Cerca de um terço da população feminina sofrerá, ao longo da sua vida, de incontinência urinária.
Ainda que a incontinência urinária seja um diagnóstico comum no pós-parto e nos períodos da menopausa e pós-menopausa, esta condição não se limita a estes períodos, sendo também comum em atletas e na população activa. As terapêuticas mais comuns para o tratamento desta condição são o treino do pavimento pélvico e tratamento cirúrgico.

O diagnóstico de incontinência urinária de esforço é efectuado quando a mulher refere a perda de urina durante esforços.
Exemplos comuns de perda são ao tossir, rir, espirrar, fazer catividade física ou levantar peso. Atentando à anatomia e complexidade das relações neuro anatómicas, serão todas as incontinências urinárias de esforço iguais? Se não o são, de que forma deveremos adaptar o conhecimento à prática clinica?
O que nos diz a literatura acerca da intervenção dos tratamentos conservadores e cirúrgicos?
Ainda que se refira que a Fisioterapia ajuda em 70% dos casos, porque é que ainda existe um número considerável de utentes que não apresenta melhorias?
O que deverá fazer o Fisioterapeuta para melhorar a sua intervenção?

Para além de o fortalecimento do pavimento pélvico, a revisão da literatura descreve a existência de outros tratamentos, nomeadamente cones, pessárias, pesos vaginais, electroterapia e hipopressivos.

Haverá alguma utilidade de conhecer a sua eficiência e aplicabilidade em clinica?
Será que o treino do pavimento pélvico poderá ser adjuvado a outras terapias?
Haverá casos em que o tratamento cirúrgico faça sentido?
Caso afirmativo, quais são as opções cirúrgicas disponíveis e o seu impacto a curto e longo prazo?
Quando é que a Fisioterapia deverá referir para tratamento cirúrgico?
Estas e outras perguntas serão respondidas e debatidas neste workshop que tem como objectivo instigar o raciocínio clínico daqueles que intervêm na área da Fisioterapia na incontinência de esforço.

Ver Mais

Objectivos:
- Rever conceitos anatómicos aplicados a incontinência de esforço.
- Actualizar conhecimentos relativos a cirurgias actuais para a incontinência de esforço: TOT, TVT, tape, slings; e as suas implicações. - Conhecer a eficácia real dos exercícios do pavimento pélvico com base na evidência
- Aprender a desenvolver e criticar a abordagem clínica com base nos conceitos de hipermobilidade uretral e deficiência intrínseca esfincteria.
- Conhecer outras ferramentas clínicas para além dos exercícios do pavimento pélvico.
- Revisão de anatomia, muscular, ligamentar, fascial e neural
- Definicão de incontinência de esforco
- Resumo de cirurgias mais comuns para incontinência de esforço
- vantagens e desvantagens
- revisão da literatura
- Exercícios do pavimento pélvico
- revisão da literatura

Porque é que os exercicios do pavimento pélvico falham?
- Hipermobilidade uretal
- Deficiência intrínseca esfincteria
- Implicações para a Fisioterapia
Sem informação
Sem informação

Modo de pagamento

Totalidade

100%

na inscrição

Faseado

50%
na inscrição
50%
até 15.06.2018

Notas

Inclui coffee-break (água + café) + Documentação + Certificado de formação profissional

Aline Filipe

Aline Filipe é fisioterapeuta especialista em pelviperineologia e fundadora do “The Pelvic Tuner”, uma plataforma de advocacia e voluntariado na área da dor pélvica e disfunção sexual. Actualmente desenvolve a sua prática clínica em Sydney (Austrália), embora no seu percurso profissional e formação académica possa destacar-se também experiência na Europa e EUA. Aline é muito activa nas redes sociais, meio que utiliza para sensibilizar utentes e outros profissionais de saúde para a importância da saúde uroginecológica na mulher, homem e criança. Formada em Clinical Pilates e Therapeutic Yoga, Aline é também certificada pela PINC- Cancer Rehabilitation for Physiotherapists, sendo esta última o foque da investigação cientifica que se encontra a desenvolver pela Monash University (Melbourne, Australia).

Ver Mais

- Farás uma actualização no âmbito da literatura na temática da Fisioterapia na Incontinência de Urgência.
- Farás uma actualização acerca dos procedimentos cirúrgicos, tipos de intervenção conservadoras e aplicação clínica.
- Conseguirás fazer uma diferenciação entre tipos de incontinência de esforço com implicações para a tua prática clínica.

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!