1ª Edição
Porto 16h Português

Adaptações Respiratórias ao Exercício e ao Treino e Exercício Clínico nas Doenças Pulmonares

25 Mai 2019 - 26 Mai 2019

Adaptações Respiratórias ao Exercício e ao Treino e Exercício Clínico nas Doenças Pulmonares

Melhor preço

209€

ATÉ 25 DE MARÇO

239€A PARTIR DE 26 DE MARÇO

269€A PARTIR DE 9 DE ABRIL

Inscreve-te neste curso com um amigo e ambos usufruem de 10% de desconto!
Ver regulamento aqui

Impacto do exercício no utente com patologia respiratória

Se pretendes conhecer a fisiopatologia das síndromes obstrutiva e restritiva e compreender de que forma podes prescrever exercício nas doenças pulmonares, então não percas estas 12 horas com dois gigantes da reabilitação clínica: José Alberto Duarte, médico e professor catedrático da FADEUP, e Filipa Kendall, fisioterapeuta especialista em cardiotorácica e doutoranda em actividade física e saúde na FADEUP.

DESTINATÁRIOS

Fisioterapeutas e profissionais do exercício físico (tb. Estudantes)

VAGAS

50 formandos

DATAS

25 Mai 2019 - 26 Mai 2019

LIMITE DE INSCRIÇÃO

22 Abr 2019

HORÁRIOS

9h00-18h00

sábado e domingo

LOCALIZAÇÃO

Hotel Black Tulip

Avenida da República, nº 2038

4430-195 Vila Nova de Gaia, Porto

COORDENADAS

Latitude: 41,1204304

Longitude: -8,6064404

FORMADOR
A Organização Mundial de Saúde coloca o sedentarismo como a 4.ª principal causa de morte, sendo já designado como a nova epidemia tabágica [1].

Se o sedentarismo afecta a população em geral, quando pensamos em utentes com patologia respiratória, naturalmente a tendência é acrescida. É importante contrariar esta progressão do doente respiratório para o sedentarismo e tentar aumentar a capacidade e a tolerância ao esforço, por forma a melhorar a qualidade de vida. [1]

Utentes com patologia respiratória podem apresentar vários tipos de limitações aquando da realização de exercício físico [2]:
- Limitação ventilatória
- Alterações das trocas gasosas (hipoxemia)
- Fraqueza relativa dos músculos inspiratórios
- Disfunção dos músculos periféricos
- Limitação cardiovascular

Os benefícios fisiológicos do treino ao nível do sistema respiratório podem ser avaliados com provas de função pulmonar e provas de esforço. A evidência científica mostra que há [2]:
- Melhoria da cinética da captação do oxigénio
- Melhoria da depuração de dióxido de carbono
- Otimização do padrão ventilatório
- Redução da frequência respiratória
- Melhor tolerância ao exercício

Nos utentes com patologia respiratória crónica é ainda mais fácil admitir que sintomas como a dispneia, conduzam inevitavelmente a uma perda da capacidade para realizar exercício físico. A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) é uma condição com efeitos que vão para além do sistema respiratório, afectando nomeadamente a função e a estrutura dos músculos-esqueléticos e, somando ao factor dispneia, o descondicionamento muscular e o sedentarismo.

A prevalência estimada da DPOC de 14,2% indica que esta é uma doença comum em Portugal. Urge, por isso, a necessidade de uma maior sensibilização da população, dos profissionais de saúde e do exercício clínico com vista a um diagnóstico precoce e à alocação dos recursos terapêuticos adequados.

Se pretendes conhecer a fisiopatologia das síndromes obstrutiva e restritiva e compreender de que forma podes prescrever exercício nas doenças pulmonares, então não percas estas 16 horas com dois gigantes da reabilitação clínica: José Alberto Duarte, médico e professor catedrático da FADEUP, e Filipa Kendall, fisioterapeuta especialista em cardiotorácica e doutoranda em actividade física e saúde na FADEUP.

[1] Pode o exercício mudar a evolução das doenças respiratórias?. My Pneumologia, 2015.

[2] Rodrigues, M.ª Fátima (2015). A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica e o Exercício: Impacto da Doença no Declínio Funcional e Importância do Treino de Exercício nos Benefícios para a Saúde. Tese de candidatura ao grau de Doutor em Medicina na Especialidade de Pneumologia. Universidade Nova de Lisboa.

Ver Mais

Gerais:
- Consolidar os conhecimentos de anatomia e fisiologia.
- Avaliar a função pulmonar e as suas repercussões na capacidade de esforço.
- Compreender as vantagens do exercício no doente respiratório.
- Aplicar o exercício clínico no doente respiratório.
- Conhecer os cuidados e segurança durante o exercício no doente respiratório.

Específicos:
- Avaliar o doente respiratório.
- Interpretar a prova de esforço cardiopulmonar.
- Identificar as síndromes respiratórias e as suas repercussões globais.
- Caracterizar a fisiopatologia das síndromes obstrutiva e restritiva.
- Planificar os objectivos de treino.
- Enunciar os protocolos de cuidados e segurança do treino.
1. Anatomia e fisiologia da respiração
2. Interpretação de provas de função pulmonar e de provas de esforço
2.1 Prova de esforço cardiopulmonar e testes submáximos
2.2 Avaliação da função pulmonar
- Síndromes obstrutivas
- Síndromes restritivas
- Síndromes mistas
3. Alterações pulmonares e extrapulmonares
4. Causas da limitação ao exercício
4.1 Recomendações da reabilitação respiratória
4.2 Prescrição do exercício
Sem informação
Certificado de frequência de formação profissional, de acordo com o decreto 35/2002, de 23 de abril.

Formação homologada pelo Instituto do Desporto e Juventude (IDP, I. P) para efeitos da renovação de cédula (PROCAFD/TEF e DT) com 3.2 Unidades de Crédito Presenciais.

Modo de pagamento

Totalidade

100%

na inscrição

Faseado

50%
na inscrição
50%
até 17.05.2019

Notas

Inclui coffee-break (água, chá e café) + certificado + 3.2 UC (PROCAFD/TEF e DT)

José Alberto Duarte

Médico e professor catedrático na FADEUP desde 2003. Publicou 217 artigos em revistas especializadas e 94 trabalhos em actas de eventos. Orientou 16 teses de doutoramento e co-orientou 9 nas áreas de Medicina Básica e Medicina Clínica. É editor de revistas internacionais conceituadas: Journal of Sports Medicine (IJSM) e Archives of Exercise in Health and Disease (AEHD). Membro do Conselho Editorial da European Review of Aging and Physical Activity (Springer). Membro do Conselho Editorial da "Revista Andaluza de Medicina del Deporte" (Elsevier). Membro do Conselho Editorial do Journal of the Sports Medicine Association of Greece. Membro do Conselho Editorial do Jornal Português de Ciências do Desporto.

Filipa Kendall

Licenciada em Fisioterapia pela ESS|P.Porto, Doutoranda em Actividade Física e Saúde na FADEUP, Docente de Fisioterapia da ESSVS e ESSVA e Fisioterapeuta no Hospital de S. João - serviço de Cirurgia Cardiotorácica.

Ver Mais

1. Existe actualmente uma crescente procura de programas de reabilitação em pacientes com patologia pulmonar.
2. Vais superar as carências sentidas pela maioria dos teus colegas de profissão que expressam sérias lacunas de conhecimento e experiência no tratamento de utentes com doença pulmonar.
CERTIFICAÇÕES E APOIOS
Certificado 1 - Master Science Lab
Certificado 2 - Master Science Lab

Formação Complementar

65€
Exercício físico e diabetes mellitus

FORMADOR José Alberto Duarte

Homologação IPDJ (1.6 UC). Efeito do treino no controlo glicémico. Pilares terapêuticos. Papel do exercício clínico: preventivo e terapêutico.

FORMADOR José Alberto Duarte

Homologação IPDJ (2.4 UC). Histologia. Fisiopatologia. Evidence-based. Programas de treino para aplicação clínica. Caquexia neoplásica.

FORMADOR José Alberto Duarte

Homologação IPDJ (2.4 UC). Miopatia do exercício. Adaptações agudas ao exercício. Reparação muscular esquelética. Alterações fenotípicas.

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!