3ª Edição
Braga 36h Sem informação de idioma

Osteopatia Pediátrica

01 Jan 2016 - 01 Dez 2016

Osteopatia Pediátrica

A eficácia das técnicas osteopáticas em idade pediátrica (0-18 anos de idade)

A actuação da osteopatia na pediatria é realizada por meio de mobilizações específicas e suaves que promovem o equilíbrio das tensões nos diferentes tecidos (ossos, articulações, tendões, músculos, fáscia, órgãos) e sobretudo no sistema nervoso autónomo.

DESTINATÁRIOS

Fisioterapeutas, Médicos e Osteopatas (tb. Estudantes)

VAGAS

0 formandos

DATAS

01 Jan 2016 - 01 Dez 2016

LIMITE DE INSCRIÇÃO

01 Dez 2015

HORÁRIOS

Sem informações
LOCALIZAÇÃO

Ginásio Flexgym

Rua dos Barbosas 119

4715-086 Braga, Braga

COORDENADAS

Latitude: 0

Longitude: 0

Quantos pais não conheces que viveram desesperados porque o bebé não parava de ter cólicas ou porque chorava ininterruptamente sem causa aparente ou porque apresentava um estrabismo?
Sabias que em países como a França, os bebés são consultados por um osteopata da mesma forma que são avaliados pelo pediatra, independentemente de apresentarem sintomas?

O parto é seguramente um dos momentos mais stressantes na vida de uma criança. O recém-nascido é submetido a muitas tensões durante esta fase: o útero empurra-o contra as paredes do canal vaginal, processo que obriga o bebé a reposicionar-se, rodar sobre o seu próprio eixo, enquanto é comprimido entre os ossos pélvicos para que depois ocorra a fase de expulsão. O crânio do recém-nascido tem assim que se adaptar às contracções uterinas, apresentando muitas vezes diferentes formas que podem estar na origem de escolioses, má oclusão dentária, astigmatismo, irritabilidade, etc.

É muito comum ouvirmos, seja por leigos ou por profissionais da saúde, que cólicas, refluxos, obstipação ou distúrbios do sono nos recém-nascidos são "normais"! Porém, de acordo com a osteopatia, a origem destes sintomas está sempre associada, na generalidade dos casos, a uma alteração da base do crânio que altera o normal funcionamento do nervo vago. Ele é o grande responsável pela inervação parassimpática de muitos órgãos e vísceras presentes na caixa torácica e abdominal e que, quando afectado, pode produzir sintomas em qualquer um deles.

Estas alterações nos recém-nascidos, na maioria dos casos, surgem pelo mau posicionamento do bebé nas semanas que antecedem o parto. Quando não existe um "encaixe" perfeito da cabeça em relação à pélvis da mãe surgem tensões e modificações da forma do crânio que podem produzir congestão do foramen jugular e, com isso, compressão do nervo vago. Outras disfunções podem surgir como as vertebrais que induzem um desequilíbrio ortossimpático e ainda a alteração do diafragma que produz alterações na pressão intra-abdominal.

Clinicamente é notório que os bebés que são abordados de acordo com a visão osteopática evoluem de modo mais rápido comparativamente aos que não são abordados por esta via. Os formandos deste curso ficarão com competência para intervir de modo eficaz e funcional não só sobre as cólicas e refluxos, mas também em casos de plagiocefalia, vómitos, dificudades escolares (dislexia, disortografia), distúrbios do sono, hérnias inguinais, obstipação, displasia da anca, eczema, enurese, choro/irritabilidade, atraso no desenvolvimento motor, estrabismo, torcicolo, alergias, asma, etc. Será dada ainda ênfase à mãe, no que respeita ao período da gravidez, parto e pós-parto através de técnicas que vão além da intervenção na zona perineal. A esfera músculo-esquelética, visceral e crânio-sacra será também abordada.

Daremos respostas, tão completas quanto possível, de forma a que os conhecimentos teórico-práticos, sejam no fim do curso completos e concretos para a gestão e assistência do ponto de vista obstétrico e osteopático para a mulher grávida e sobretudo para o recém-nascido. Aqui assista à apresentação do curso com o brilhante professor do European Osteopathic Project, Marco Mastrillo (PT, DO.)

Ver Mais

Objectivos gerais:
1. Avaliar e tratar de modo eficaz as principais disfunções que se observam diariamente em pacientes pediátricos.
2. Desenvolver um caminho de formação destinado aos pacientes pediátricos e na aquisição de técnicas de tratamento que potenciarão a intervenção conjunta com o médico pediatra.

Objectivos específicos:
1. Aprender a formular um diagnóstico das patologias pediátricas mais frequentes, baseado no raciocínio clínico e numa avaliação criteriosa.
2. Saber como realizar tratamentos específicos em disfunções como o refluxo na infância, gaguez, distúrbios de linguagem e deglutição, plagiocefalias, alterações do recém-nascido, entre muitas outras.
3. Conseguir elaborar uma estratégia de tratamento personalizada. 4. Aplicar as técnicas osteopáticas mais utilizadas em idade pediátrica (0-18 anos de idade).
Guidelines pelo European Osteophatic Project de Itália

1. Introdução
- Visão osteopática e princípios de tratamento gerais
- Relatório do osteopata com a criança e a família
2. O Feto
- Desenvolvimento, avaliação embriológica e relação aos somatótipos no adulto.
3. Parto/Nascimento:
- Avaliação da mulher durante a gravidez + tratamento osteopático e preparação para o parto
- O parto fisiológico (visão osteopática), mecânica obstétrica (fisiologia e complicações), pós-parto/puerpério (fisiologia e complicações)
- Exame da mãe (sinais)
- Exame do recém-nascido (reflexos, alterações decorrentes do parto, aleitamento)
4. Fisiopatologia Pediátrica
- As plagiocefalias (classificações e tipologias, anatomia, fisiopatologia, visão osteopática e princípios de tratamento)
- Lesões intra-ósseas (conexões anátomo-fisiopatológicas na idade evolutiva e no adulto, princípios de tratamento)
- Patologias ortopédicas e posturais (visão osteopatica e princípios de tratamento)
- Aparelho digestivo (anomalias genéticas e funcionais, refluxo gastroesofágico, disfunções intestinais, visão osteopatica e princípios de tratamento, sinais de aproximação à nutrição pediátrica)
- Sinais das patologias respiratórias e cardíacas (visão osteopática e princípios de tratamento)
- Perturbações comportamentais e relacionais (visão osteopática e princípios de tratamento)
5. Clínica
- Tratamento de um paciente (sujeito a confirmação)
6. Conclusões e pensamento osteopático

Ver Mais

Sem informação
Certificado Internacional pela Associazione Italiana per la Divulgazione delle Cultura Osteopatica (AIDCO).

Certificado de frequência de formação profissional, de acordo com o decreto 35/2002, de 23 de abril.

Modo de pagamento

Totalidade

100%

na inscrição

Faseado

50%
na inscrição
50%
até 25.12.2015
Sem informação
1. Aprender a intervir com uma visão osteopática junto de um leque variado de patologias que acometem o bebé e a mãe. São muito escassos em Portugal, os profissionais com competências para tal.
2. Aumentando os seus recursos numa área tão pouco explorada em Portugal, aumentará o seu reconhecimento profissional.
3. Aprender directamente com Marco Mastrillo, fisioterapeuta e osteopata que privou com Viola Frymann, mãe da osteopatia pediátrica.
CERTIFICAÇÕES E APOIOS
Certificado 1 - Master Science Lab
Certificado 2 - Master Science Lab

O que dizem os nossos formandos?

Formação Complementar

399€

Terapia Manual no Sistema Nervoso Autónomo

27 Jun - 30 Jun 2019 32h Porto

Terapia Manual no Sistema Nervoso Autónomo

FORMADOR Marco Mastrillo

Casos clínicos. Disfunções Multifactoriais. Dor. Dor Crónica. Inibição e Estimulação do SNA.

399€

Osteopatia Pediátrica - Nível Avançado

14 Nov - 17 Nov 2019 32h Porto

Osteopatia Pediátrica - Nível  Avançado

FORMADOR Marco Mastrillo

Técnicas funcionais. Neurologia. Ortopedia. Cardio-respiratório. Otorrino. Casos clínicos. Certificação Internacional.

349€

Osteopatia Ginecológica e Gestacional

6 Dez - 8 Dez 2019 24h Lisboa

Osteopatia Ginecológica e Gestacional

FORMADOR Marco Mastrillo

Gravidez. Infertilidade. Parto e pós-parto. Cesariana. Dismenorreia. Avaliações funcionais. Eixo hipotálamo-hipófise-gonadal (HHG).

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!