1ª Edição
Porto 25h Sem informação de idioma

Strength and Power Training for Sports: força funcional e velocidade

10 Nov 2017 - 12 Nov 2017

Strength and Power Training for Sports: força funcional e velocidade

Strength and Power Training for Sports: força funcional e velocidade

C/ selo da Elite Training. Reabilitação vs Força. Treino de força e velocidade. Treino funcional. Programação do treino para atletas e não atletas.

DESTINATÁRIOS

Fisioterapeutas, preparadores físicos, personal trainers, professores de educação física, médicos (tb. estudantes)

VAGAS

0 formandos

DATAS

10 Nov 2017 - 12 Nov 2017

LIMITE DE INSCRIÇÃO

28 Nov 2016

HORÁRIOS

Sem informações
LOCALIZAÇÃO

AmazinGym Matosinhos

Rua Dom Nuno Álvares Pereira 433

Matosinhos, Porto

COORDENADAS

Latitude: 0

Longitude: 0

FORMADOR

Brasil

Luigi Marino

Strength & Conditioning

Conceituado consultor e formador da EXOS

Luigi Marino - Master Science Lab
Treino de força e velocidade - destaque nos programas de treino funcional e de reabilitação O treino de força funcional é, nos dias de hoje, uma buzzword popular na indústria da aptidão e performance humana. Este conceito, intimamente relacionado com o desenvolvimento da capacidade funcional, compreende o desenvolvimento das principais capacidades biomotoras: força, velocidade, resistência, coordenação, mobilidade e controlo motor. A força muscular, nas suas diversas manifestações, destaca-se como sendo uma das capacidades mais relevantes para o desempenho das actividades quotidianas e para a manutenção da independência funcional, salientando-se a sua relevância durante o processo de reabilitação. Por conseguinte, o treino de força é encarado como uma das estratégias mais eficientes para promoção do aumento da força muscular e para a melhoria das principais capacidades biomotoras (que interferem no desempenho das tarefas funcionais), merecendo posição de destaque nos programas de treino funcional e de reabilitação. Estudos indicam que a perda de massa muscular e consequentemente da força muscular é a principal responsável pela deterioração na mobilidade e na capacidade funcional. A perda da massa e força musculares estão, portanto, associadas à redução da força muscular e óssea, alteração da potência aeróbia máxima, intolerância à glicose, resistência à insulina, menor taxa metabólica de repouso e de requisição energética, disfunção imunológica, desordens do equilíbrio e da marcha, fracturas por osteoporose, entre outras. Por conseguinte, pode afirmar-se, sem rodeios, que a força muscular é um componente fundamental da saúde, além de exercer um papel relevante na optimização da performance funcional (em atletas e não-atletas) e no processo de reabilitação, com ou sem sintomatologia.Para optimizar a performance pela eficácia do treino de força, é importante incrementar a capacidade de explosão, permitindo desenvolver a potência e aumentar a capacidade de produzir o máximo de força no mínimo de tempo. O objectivo da formação Strength and Power Training for Sports: Força Funcional e Velocidade será abordar com detalhe os princípios da aplicação do treino de força e velocidade em programas de treino funcional de atletas e praticantes sem fins competitivos, no sentido de potenciar os mais altos níveis de performance, e consequentemente promover a prevenção de lesões. Nas fases finais de reabilitação estes conceitos são fundamentais para promover um Return to Play seguro e com performance a níveis sem precedentes. O curso prevê ainda fundamentar a importância da monitorização das medidas de velocidade e potência do movimento para melhorar tanto o planeamento quanto a aplicação prática do treino. Os dispositivos e métodos que serão utilizados para medir a velocidade da barra, halter, kettlebell, bola medicinal ou mesmo saltos pliométricos serão também analisados para que o formando adquira conhecimentos suficientes para potenciar a eficácia da sua intervenção. As duas principais medidas de velocidade, de pico e média, serão explicadas, assim como os melhores métodos para o desenvolvimento destas componentes. A partir deste estudo e análise poderá usar-se a velocidade para guiar o planeamento, em conjunto com outras medidas tradicionais como % 1RM, monitorização de carga, RPE, conceitos de carga crónica:carga aguda, monotonia, strain. O uso combinado destas medidas faz com que o planeamento seja potencialmente mais individualizado, específico e efectivo. O uso da velocidade para melhorar a intervenção imediata e intra-sessão do treinador na orientação prática no treino dos seus atletas também será detalhado.

Ver Mais

Objectivos: Treino baseado em velocidade - TBV - Aprender a usar as medidas de velocidade da execução de movimentos para monitorizar e melhorar a performance de cada individuo. - Obter conhecimento sobre a criação de programas de treino, passando pela mensuração de cargas, progresso de desempenho e variações de estímulos neuromusculares. Força Funcional - aplicação, educação e planeamento de movimentos avançados - Conhecer os princípios do treino funcional. - Compreender a fisiologia neuromuscular. - Compreender o papel do treino de força no estudo do movimento humano. - Analisar a influência do treino de força nas estruturas do aparelho locomotor. - Saber construir um plano de treino de força funcional. - Saber orientar um treino com movimentos de força para membros superiores e inferiores. - Aplicar a metodologia mais adequada aos vários tipos de força solicitada, consoante o destinatário do treino (atleta ou praticante sem fins competitivos).

Ver Mais

Treino Baseado em Velocidade (TBV) 1. Histórico da mensuração de velocidade no treino de força 2. Dados normativos para o treino de força máxima 3. Prática de mensurações de velocidade em exercícios de força máxima: membros inferiores e superiores 4. Utilização dos dados para prescrição do treino de força 5. Definição dos exercícios de potência 6. Dados normativos para o treino de potência 7. Utilização da mensuração da velocidade para avaliar a prontidão para o treino (training readiness) 8. Relações entre velocidade e fadiga: como os números de velocidade ajudam a monitorização da sessão de treino. 9. Utilização dos dados de velocidade para melhoria das instruções na sessão de treino (coaching). 10. Periodização baseada em velocidade 11. Prática da mensuração de velocidade em exercícios de potência e levantamento olímpico: membros superiores, inferiores e power clean. Força Funcional - aplicação, educação e planeamento de movimentos avançados 1. Treino Funcional e Treino Convencional - As melhores formas de treinar atletas e pessoas comuns 2. Anatomia funcional - Programar séries e repetições de acordo com as características musculares 3. Avaliação intra-sessão - Como avaliar de modo simples algumas assimetrias fundamentais para a implementação de treino 4. Educação de movimentos de força fundamentais para membros superiores - Mecânica, Progressões e Adaptações - teoria e prática 5. Educação de movimentos de força fundamentais para membros inferiores - Mecânica, progressões e Adaptações - teoria e prática 6. Activação neuromuscular - Modelos de aquecimento para o treino de força 7. Qualidades de força - Quais são as principais habilidades neuromotoras e como devem compor o programa de treino 8. Programação de treino - Diferentes modelos de programação e exemplos de fichas de treinos de acordo com o nível do cliente

Ver Mais

Sem informação
Sem informação

Modo de pagamento

Totalidade

100%

na inscrição

Faseado

50%
na inscrição
50%
até 03.11.2017

Luigi Marino

Luigi Marino graduou-se em Educação Física, seguindo-se uma pós-graduação em Fisiologia do Exercício. Actualmente colabora como docente universitário nas Faculdades Estácio, FMU e CEAFI (Brasil), actividade que concilia com a de gestor técnico na Elite Training e na Care Club BR. Apaixonado por desporto, dedicou a sua formação académica e profissional à especialização no treino e performance desportiva, sendo nos dias de hoje um dos conceituados consultores e formadores da EXOS – Atheletes Performance (USA).

Ver Mais

1. Estudos recentes demonstram que o treino de força, principalmente o treino baseado em velocidade, contribuí significativamente para a evolução do limiar anaeróbio, para a economia de corrida (custo energético) e par o consumo máximo de oxigênio (VO2 máx), contrariando o mito que o treino de força nos deixa mais lentos e pesados. 2. O treino de força acarreta inúmeros benefícios para a saúde do atleta ou não atleta: aumento do equilíbrio, da velocidade, da coordenação motora, da agilidade e da densidade mineral óssea, ajuda a prevenir os mais variados tipos de lesões, melhora o funcionamento do sistema cardiovascular e sistema endócrino, diminui o perfil lipídico e ajuda a controlar a pressão arterial e a taxa metabólica de repouso. 3. Curiosidades do treino de força: - Os exercícios de força consomem calorias durante e após o treino. - 2 meses de exercícios de força regular, normalmente implicam um aumento de 50% na força muscular. - Investigadores revelaram que criando 1,3 kg de massa muscular aumenta a taxa metabólica basal em cerca de 7% e a necessidade de calorias diária em 15% (Campbell et al.1994). - A ausência de exercícios de força regular, origina a perda de cerca de 250g de massa muscular por cada ano de vida adulta. Apesar do treino de endurance melhorar a capacidade cardiorespiratória, não previne a perda de massa muscular. Apenas os exercícios de força mantêm a massa muscular durante a meia-idade.

Ver Mais

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!