Exercício

Dor e Aprendizagem Motora

Terá a dor, SEMPRE, um efeito negativo?

Existe bastante literatura que evidencia o papel negativo da dor no controlo motor, uma vez que influencia negativamente a neuroplasticidade asssociada com o output motor (Bank et al. 2013; Hodges and Tucker 2011; Mercier and Leonard 2011).


Para além disso, recentemente saiu um artigo que demonstrou que indivíduos que aprenderam uma tarefa motora enquanto experienciavam dor desenvolveram uma estratégia diferente de ativação muscular (que envolvia uma menor co-contração dos músculos do ombro e cotovelo) e que essa estratégia era mantida mesmo após a remoção do estímulo doloroso (Salomoni, Marinovic, Carrol and Hodges, 2019). Como facilmente percebemos, estes factos têm influência importantíssima num processo de reabilitação após uma lesão e respetivo quadro álgico. Curiosamente, este mesmo estudo demonstrou que apesar da dor diminuir a taxa inicial de aprendizagem, não impediu a aquisição e retenção de uma nova habilidade motora!


Assim coloca-se a questão: terá a dor, SEMPRE, um efeito negativo?


Dancey et al. 2014, 2016 demonstraram que um estímulo nocivo cutâneo (induzido com Capsaicina) promoveu uma maior aprendizagem motora durante a aquisição de uma habilidade!


Estes dados podem ser explicados pelo facto de a dor ter aumentado os mecanismos excitatórios e da ATENÇÃO, bem como um efeito interativo da dor na integração sensorial.


⚠️ Não estou a encorajar o uso de estímulos dolorosos nem a prática de exercício físico com dor! Até porque durante a ocorrência de um estímulo doloroso músculo-esquelético os resultados poderão ser diferentes! Para além disso, a perpetuação de um quadro álgico poderá desencadear a ocorrência de dor crónica e/ou neuropática!


--

Um texto escrito por Tiago Rocha, coordenador científico para a área do Exercício da Master - Science Lab. Licenciado em Ciências do Desporto, com especialização em Treino de Alto Rendimento Desportivo, é mestre em Ensino da Educação Física nos Ensinos Básicos e Secundário, pela FADEUP e pós-graduado em Reabilitação Neurológica (ESS).


Ver Mais

Fonte:

Bank, P. J. M., Peper, C. (Lieke) E., Marinus, J., Beek, P. J., & van Hilten, J. J. (2013). Motor Dysfunction of Complex Regional Pain Syndrome Is Related to Impaired Central Processing of Proprioceptive Information. The Journal of Pain, 14(11), 1460–1474. https://doi.org/10.1016/j.jpain.2013.07.009

Hodges, Paul W.*; Tucker, Kylie Moving differently in pain: A new theory to explain the adaptation to pain, Pain: March 2011 - Volume 152 - Issue 3 - p S90-S98 doi: 10.1016/j.pain.2010.10.020

Mercier C, Léonard G. Interactions between pain and the motor cortex: insights from research on phantom limb pain and complex regional pain syndrome. Physiotherapy Canada. Physiotherapie Canada. 2011; 63(3): 305–314. 10.3138/ptc.2010-08p

Salomoni SE, Marinovic W, Carroll TJ, Hodges PW. Motor Strategies Learned during Pain Are Sustained upon Pain-free Reexposure to Task, Medicine & Science in Sports & Exercise: November 2019 - Volume 51 - Issue 11 - p 2334-2343 doi: 10.1249/MSS.0000000000002059

Dancey, E., Murphy, B., Andrew, D., & Yielder, P. (2016). Interactive effect of acute pain and motor learning acquisition on sensorimotor integration and motor learning outcomes. Journal of Neurophysiology, 116(5), 2210–2220. https://doi.org/10.1152/jn.00337.2016

Dancey, E., Murphy, B., Srbely, J., & Yielder, P. (2014). The effect of experimental pain on motor training performance and sensorimotor integration. Experimental Brain Research, 232(9), 2879–2889. https://doi.org/10.1007/s00221-014-3966-1

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Cursos Relacionados

Curso Motricidade Voluntária Funcional (MVF)

10 Out 2020 - 17 Out 2021 168h Porto

Curso Motricidade Voluntária Funcional (MVF)

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!