Saúde

ATM: articulação com maior risco de disfunções

Maioria dos utentes que recebem tratamento conservador melhoram sinais e sintomas da DTM

Cerca de 80% dos pacientes que recebem tratamento conservador melhoram sinais e sintomas da DTM [1]


Sabias que a ATM está constantemente em movimento, realizando aproximadamente 2.000 movimentos/dia, sendo a articulação mais usada do corpo e com maior probabilidade de sofrer disfunções? [2]


As disfunções temporomandibulares (DTM) são um conjunto de condições dolorosas ou de disfunções musculo-esqueléticas que afectam a ATM e/ou os músculos da mastigação, bem como os demais componentes do sistema estomatognático.


A causa para a disfunção da ATM e dor oro-facial raramente é única, apresentando normalmente etiologia multifactorial.


Segundo dados epidemiológicos, os sinais e sintomas da DTM são encontrados em cerca de 20 a 75% da população geral. Esta desordem prevalece entre adultos jovens (20 a 40 anos), sendo mais frequente em mulheres, numa proporção de 3 a 7 vezes mais em relação aos homens. Até aos 40 anos a causa é de origem traumática e após os 40 a origem é de causas degenerativas [3].


A intensidade destas condições pode variar desde perceptível, mas clinicamente insignificante, até dores severamente debilitantes. Apesar de um em cada quatro pacientes estar ciente dos sintomas, somente 2 a 4% procuram tratamento. [4] [5].


Os sinais e sintomas que comummente caracterizam a DTM são: [2]

- Ruídos articulares durante a realização de movimentos funcionais da mandíbula

- Distúrbios nos movimentos articulares em ambas as direcções

- Dor pré-auricular localizada sobre a região da ATM

- Dor nos músculos mastigatórios

- Cefaleia


A terapia manual tem como objectivo evitar a cirurgia, melhorar o posicionamento do côndilo mandibular relativamente ao osso temporal, minimizar a dor muscular, melhorar a amplitude de movimento, reeducar o paciente em relação ao posicionamento correcto da mandíbula, reduzir a inflamação, reduzir a carga na ATM e fortalecer o sistema músculo-esquelético [6].


Entre os benefícios gerais da terapia manual destacam-se:

- Melhoria da distribuição do líquido sinovial

- Melhoria da nutrição da fibrocartilagem da superfície articular da ATM

- Correcção de falhas posicionais dos côndilos

- Melhoria das debilidades musculares dos grupos envolvidos na dinâmica da ATM

- Relaxamento muscular

- Controlo do quadro álgico

- Ganho do arco de movimento

Ver Mais

Fonte:

[1] SOLBERG, W. K. Disfunções e desordens temporomandibulares. 2. ed. São Paulo: Santos, 1999.

[2] GALACE, et al. Os efeitos da desativação dos pontos gatilho miofasciais, da mobilização articular e do exercício de estabilização cervical em uma paciente com disfunção temporomandibular: um estudo de caso, 2011, Rev.Fisioter. Mov., Curitiba, v. 24, n. 1, p. 33, 2011.

[3] Biasotto-Gonzalez DA. Abordagem interdisciplinar das disfunções temporomandibulares. 7. ed. São Paulo: Manole; 2005.

[4] NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH – NIH, Maryland. Management of temporomandibular disorders. National institutes of health technology assessment conference statement. J Am Dent Assoc 1996 127: 1595-1606.

[5] SALVATTI, S.C Terapia Manual Integrada e Reeducação funcional dos distúrbios temporomandibulares de origem muscular, 2011. UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE – UNESC, pag.4, 2011.

[6] BASSI, A. F. B.; MORIMOTO, R. S.; COSTA, A. C. S. "Disfunção temporomandibular: uma abordagem fisioterapêutica".

Partilha este artigo

Share to Facebook Share to Twitter Share to Google + Share to Mail

Cursos Relacionados

Newsletter Fica a saber tudo para seres cada vez melhor. Regista-te aqui!